Wednesday, January 04, 2006

being blond

Ser loura não é um bem hereditário, pode um dia ter sido, mas agora acabou-se! Louras é o que para aí mais há aos pontapés, pelas esquinas das ruelas! Desde a loura mais angelical à puta mafiosa com um louro deslavado a deixar adivinhar uma raíz escura de dez centímetros.
Proporcionalmente a este número existem mulheres que negam a existência dos neurónios, desconhecendo por completo (nunca pela metade. Já que toda a massa cinzenta é igualmente discriminada!) que estes também podem ganhar banhas se não forem exercitatos.
Começam a escassear "burras" que não sejam igualmente louras oxigenadas. A telefonista que fala com sotaque ucraniano é "legalmente" loura, mas a sua colega moçambicana já não o é! E nunca as vemos, mas podemos adivinhar-lhes a cor das madeixas do cabelo, pela ineficácia dos serviços prestados.
Existem as estudantes lourinhas e as quarentonas louraças dos anúncios relax, que em curtas mensagens prometem noites fogosas mas iguais às outras todas passadas com clientes diferentes.
A Joana A. Dias assim como todas as outras louras, convence-se que carrega nas suas madeixas louras o poder de argumentação, persuasão e sedução que todas as louras (que um dia resolveram exercitar o teco adormecido) pensam ter por reflectirem a radiação solar directa.
E se lhes acendermos o rastilho?

1 Comments:

Blogger radioflyur said...

louras, morenas, ruivas... é tudo uma questão de atitude...

3:59 PM  

Post a Comment

<< Home